Uma questão de escolha

 

Texto base: Mateus 9.9-13

Ali, sentado em sua cadeira, desenvolvendo seu trabalho a pedido do Império Romano, de cobrar impostos abusivos ao seu próprio povo, estava Mateus, filho de Alfeu. A bíblia relata o último dia de trabalho desse homem em seus três evangelhos.

Jesus passando pela coletoria, olhou para Mateus e ofereceu-lhe um trabalho digno, mas sem remuneração, cheio de perigos, com muitas lutas e dores, mas com abundância de vida…da água da vida.

Quem poderia imaginar que um ladrão, traidor de seu povo, corrupto, pudesse fazer parte dos discípulos de Jesus!

Bastou somente dizer: Segue-me e imediatamente Mateus deixou tudo por Cristo. Preparou um banquete, convidou seus amigos e sentou-se na companhia do amigo Jesus.

Os doutores da lei corroídos de um forte sentimento de orgulho questionaram a Jesus sobre sua relação com “essa gente pecadora” e foram surpreendidos com as sábias palavras do Doutor da vida: “Eu vim para os doentes, misericórdia quero e não holocausto”.

Quanta graça superabunda nessa história, quanto amor é demonstrado.

O mundo foi contaminado por uma enfermidade que tem matado milhões de pessoas a cada segundo: o pecado. Cristo olhou para as mazelas da nossa alma, viu a podridão do nosso coração e ainda assim disse: Segue-me.

Ele escolheu estar conosco, sentar a mesa, compartilhar do Seu amor e nos conduzir ao arrependimento que produz novidade de vida.

Mateus imediatamente deixou seu status, seu trabalho, sua boa condição financeira, seus amigos, sua família, tudo, para estar com Jesus, ser seu discípulo e fazer a diferença em uma geração contaminada pelo pecado.

A mesma ordem está sendo dada: Segue-me, mas segui-Lo é uma questão de escolha.

Qual será a sua?

Qual será minha escolha quando alguém me fere emocionalmente? Qual será minha escolha quando meu marido falhar? Quando eu ver alguém passando por necessidade financeira, quando ouvir pessoas fazendo fofoca, quando eu ver pessoas se levantando contra a liderança de uma igreja, quando uma amiga estiver com desejo de se separar do marido, qual será a minha escolha, quando meus filhos fizerem escolhas erradas?

Posso me acomodar, não me envolver, dizer o que as pessoas querem ouvir e não o que realmente necessitam, me basear no que “acho” e não no que diz a Bíblia, não confrontar o pecado por medo de perder a amizade ou o “clima do trabalho”, enfim, posso simplesmente deixar passar…

A questão é que Jesus nos motiva a deixar a zona de conforto, a vergonha do passado, os medos, a preguiça ou o que for necessário para segui-Lo e levar a outros a fazer o mesmo! E temos a maravilhosa promessa que Ele estaria conosco até o fim, e que o Espirito Santo nos capacitaria para a boa obra, então é somente se dispor!

Que Deus nos ajude a todos os dias segui-Lo e fazer a diferença na vida das pessoas que Ele soberanamente coloca em nosso caminho.

Com carinho

Danúbia

Um comentário em “Uma questão de escolha

  1. Incrivelmente tratamos sobre o assunto submissão hoje no grupo de mulheres.
    Ao abordarmos o tema, cocluimos exatamente isso : submissão também é uma escolha feita no nível de consciência do comprometimento com Deus. Não as circunstâncias, não aos interessses pessoais e sim ao gracioso poder do Espírito Santo em nós.
    Texto vindo do coração de Deus ao nosso testificando a preciosidade da graça derramada em corações pecadores como o nosso. Obrigada filha por dispor de sua sabedoria a nosso favor. Prossiga.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s