A realidade do dia das mães

 

No próximo domingo será celebrado o dia das mães. Essa data teve origem no Brasil em 1932, o então presidente Getúlio Vargas, a pedido das feministas da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, oficializou a data no segundo domingo de maio. A iniciativa fazia parte da estratégia das feministas de valorizar a importância das mulheres na sociedade, animadas com as perspectivas que se abriram a partir da conquista do direito de votar, em fevereiro do mesmo ano. (Fonte: Wikipédia).

As mídias preparam lindas propagandas com muitos coraçõezinhos e bonitas músicas, outdoor, cartazes; há festas nas escolas, as lojas são decoradas, há promoções nos comércios, enfim, existe uma grande movimentação pra celebrar essa data.

É uma data festiva para você?

Talvez como eu, você seja feliz e tenha motivos para celebrar por ter filhos e por ter uma mãe, mas talvez a sua gravidez foi indesejada, talvez você não goste de ser mãe, afinal os filhos mudaram toda a sua vida e atrapalharam seus planos, talvez essa data te faça sofrer porque você deseja ser mãe, mas por alguma razão não pode. Talvez essa data seja dolorosa porque a sua amada mãe já não está mais viva e você não pode dar aquele abraço carinhoso. Pode ser que você tenha uma mãe maravilhosa, presente, amiga, mas pode ser que sua mãe tenha problemas, vícios, e é você quem acaba tendo que cria-la. Pode ser que você converse com sua mãe todos os dias pelo telefone, whatsaap, que você dê uma passadinha na casa dela para dar um oi e tomar aquele cafezinho, mas pode ser que você tenha discutido com ela e não estão se falando. Pode ser que você não tenha a mãe biológica, mas tenha a mãe do coração.

Pode ser que hoje você esteja se sentindo culpada por trabalhar muito e não ter tanto tempo para seus filhos, ou por ter perdido a paciência e dito coisas erradas e se sentir uma péssima mãe. Você pode ter abortado e rejeitado um filho.

São tantas realidades, são tantos sentimentos… então como encarar esse dia?

Crendo que absolutamente todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (Rm8.28), crendo que absolutamente tudo o que Deus faz é bom e perfeito, porque Ele é assim e por tanto, sua mãe sendo boa ou não, estando presente ou não, você tendo filhos ou não, absolutamente tudo está debaixo do controle do nosso Amado PAI e Ele está usando tudo isso para aperfeiçoar o caráter de Cristo em sua vida.

A bíblia diz ainda em Romanos 12.18 “Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”, e mais em Mateus 18:15 “Se um irmão pecar contra você, fale com ele em particular”. Faça o que for possível, peça perdão a sua mãe ou madrasta, peça perdão aos seus filhos, mas não permita que as adversidades sejam maiores que o amor de Cristo em sua vida.

Se você puder celebrar esse dia, se alegrar, faça-O e glorifique ao Senhor por ser mãe e ter uma mãe, mas se você não puder celebrar… glorifique ao Senhor que te ama e está cuidando de você ainda que você não veja e esse amor não muda, não falha e não te abandona!

Feliz Dia do Criador das mães, dos pais, dos filhos, da vida!

Daquela que tem o privilégio de ter a melhor mãe e os melhores filhos do meu pequeno mundo!

 

2 comentários em “A realidade do dia das mães

  1. Filhota. Conhecer a essência de quem somos como mãe e o propósito de vida,faz toda a diferença.

    A gratidão pela vida,sobretudo eterna, é uma direção correta para se olhar.

    Parabéns!! Prossiga

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s