Espinho na rosa ou rosa no espinho?

 

“E para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo” (2 Coríntios 12:7-9).

Você já pisou descalça em algum espinho? Ou já entrou uma “ferpinha” no dedo da mão quando mexia com alguma coisa de madeira, ou se alfinetou em algum cactos ou rosa? Já passei várias vezes por essas situações e esse negócio incomoda, dói, fica ardendo e a gente não vê a hora de se livrar desse espinho não é verdade?

Paulo passou por isso….mas de uma maneira bem mais intensa. A Bíblia não diz o que era o espinho na carne de Paulo. Apenas sabemos que o espinho na carne atormentava Paulo, ele pediu que Deus tirasse por três vezes, mas não o retirou. Apesar de lhe causar muito sofrimento, o espinho na carne ajudou Paulo a se manter humilde, e eu diria a se manter como Jesus.

É bem possível que você tenha algum espinho na sua carne: uma enfermidade, uma amiga, uma vizinha, o marido, algum parente, o chefe, algum irmão da igreja, a saudade, o trabalho, a escola, enfim, algo ou alguém por quem você já orou e pediu para Deus te livrar e Ele mantém tudo igual.

O propósito central de Deus é de nos fazer parecidos a Cristo, e para alcançar esse objetivo Ele usa o que for necessário.

A maneira como olhamos as pessoas e as situações fazem toda a diferença. Diz a história que certa vez um homem olhou uma linda rosa e disse: Que pena, até as rosas têm espinhos, mas outro homem olhando a mesma rosa, exclamou: Que lindo! Até os espinhos dão rosas!

É possível que Deus permita essas pessoas ou circunstâncias em nossas vidas porque Ele não desiste de nos amar e de querer que sejamos como Jesus. A dependência de Sua graça precisa ser tão presente como o ar que respiramos.

Se você já orou e nada mudou, é momento de aprender a conviver com esse espinho, olhar para ele como ferramenta de Deus na construção de seu caráter e admitir que esses espinhos ajudarão no processo de exalar o bom perfume de Cristo.

De uma das rosas do jardim de Deus….

Danúbia